Imagem

Sarau do Cotovelo – JD. Pantanal

Sarau de Cotovelo

Anúncios

Espetáculo Teatral “[des]ÁGUA” no Sítio São Francisco

Salve quebrada!

O  Sarau da Resistência e o Coletivo Alma convida a todxs para prestigiar o espetáculo de teatro de rua “[des]ÁGUA” na Viela da Paz – Sítio São Francisco dia 14/09.

13:30 - Oficina de teatro de rua
15:30 - Espetáculo "[des]ÁGUA"

desagua

Sinopse:
A montagem teatral encena a história de dois povos (o povo bacia, que celebra a natureza, e o povo pneu, que aprisiona a força das águas) que, após um conflito, se veem afetados pelos destroços de uma enchente. A fábula mostra de forma lúdica e crítica o processo de urbanização nas várzeas dos rios brasileiros e parte da mercantilização da água como metáfora para discutir a expansão desordenada e desigual das cidades.

Ficha técnica:
Direção geral: Edgar Castro.
Direção musical: Raniere Guerra.
Dramaturgia: coletivo ALMA, com colaboração de Rogério Guarapiran.
Preparação corporal: Mauro Grillo e Thabata Ottoni.
Figurinos e cenografia: Samara Costa.
Produção: Alexandre Falcão, Daniela Caielli, Letícia Elisa Leal e Marcello Nascimento de Jesus.
Elenco: Adilson Fernandes “Camarão”, Adriana Gaeta, Alexandre Falcão, Ana Rolf, Fabrício Zavanella, Letícia Elisa Leal, Mauro Grillo, Thiago Winter

INSTRUÇÕES PARA CHEGAR:
* Vindo da Dutra seguir pela Estrada JK até o supermercado X.
* No Supermercado X virar a esquerda na Estrada da Água Chata
* Siga a direita na bifurcação, rua Jardim Repouso São Francisco
* Na sexta rua virar a direita em frente a padaria Real Park (rua Dez), seguir até o mercado Rei Lar

Sarau da Resistência – 1º aniversário

sitio_sarau_pbO Sarau da Resistência está comemorando seu primeiro aniversário, e quer saber: Onde estão os Amarildos?

Amarildo, morador da Rocinha (RJ), desapareceu no dia 14/07 após ser levado por policiais das UPPs do Rio. A família presume que o pedreiro está morto. Com muita repercusão na  mídia, o caso de Amarildo não é isolado, pois os principais suspeitos da morte do trabalhador são os policiais militares das UPPs.

Na mesma semana tivemos ainda o julgamento dos policiais militares envolvidos no massacre do Carandirú, onde 111 presos foram assassinados depois da invasão da PM. O então governador do estado, Fleury Filho, declarou que não deu a ordem da invasão, mas se estivesse em seu gabinete autorizaria a ação criminosa da polícia.

“Aqui pro cidadão honesto ter um teto
só pondo o fogão na cabeça e invadindo o prédio
Saindo na mão com o PM do Choque,
sobreviver do tiro da reintegração de posse
Pergunta pro tio do terreno invadido no escuro
o que é um trator transformando tua goma em entulho”
(Facção Central – A marcha fúnebre prossegue)

Para comemorar o primeiro aniversário, o Sarau da Resistência vem de oficinas de desenho, quadrinhos, zines e rádio livre. Traga seu vídeo, música e poesia.

10/08 - a partir das 14h
Local: Rua Avaré, Sítio São Francisco - Pimentas